Dicas para Deixar de Pensar no Ex

 

Como é difícil deixar de pensar na outra pessoa com quem teve um relacionamento, parece que ele habita nossa cabeça 24 horas por dia. As vezes deixamos de pensar por algum momento, mas de repente a magoa e angustia voltam e pensamos nele novamente.

 

Isso acontece, segundo o especialista Pablo Tuffano, porque o outro nos incomoda. E o que incomoda no outro nada mais é do que um espelho de nós mesmos. Em outras palavras, você vê no outro um reflexo do seu eu ou então do que você queria ser, e é por isso que pensar no ex incomoda tanto.

 

 

 

Então para deixar de pensar no ex, o caminho é identificar o porquê nos incomoda e fazer com que isso não nos afete mais. Dessa forma deixaremos de notar esses pensamentos até que desapareçam. Para te ajudar vou te deixar abaixo uma dica para deixar de pensar no ex.

Forma Simples para Liberar seus Pensamentos

Antes quero te dizer que você deve saber que seu inconsciente te manda mensagens constantemente. Essas mensagens contem assuntos nos quais ele precisa da nossa atenção para resolver. Assim como sua caixa de e-mail, você escolhe se quer ler ou não as mensagens recebidas.

 

O grande problema é que o nosso inconsciente é muito persistente, e ele vai ficar mandando a mesma mensagem uma e outra vez até que você leia e resolva o assunto. E como ele faz isso? Através das lembranças. 

 

Dito isso, você já entendeu que essas lembranças causam sentimentos tristes e dor quando se tratam do antigo relacionamento. Então abra as mensagens e resolva o problema. Identifique o porquê está doendo, leia o artigo no blog onde falo sobre o desapego.

 

Saiba mais sobre como superar o fim de um relacionamento, clique aqui.

2 comentarios

Como se Livrar da Culpa?

Você já se sentiu culpada por algo que fez à alguém? Depois sentiu vergonha e acabou se afastando dessa pessoa?

Ao longo da vida e dos relacionamentos muitas vezes fazemos coisas das que depois nos sentimos culpados, ou algo que o outro nos faz, e aos poucos vamos nos afastando das pessoas para não encarar o problema. Se passa o tempo a arrastamos um peso enorme nas costas por todas essas pequenas culpas.

O que é a Culpa

A culpa é um sentimento cruel e pode surgir das situações simples até as mais complexas. Ela sempre vem acompanhada da vergonha de encarar a situação e você acaba se fechando do mundo. Não importa se é nossa culpa ou culpa de outro, ela funciona da mesma forma dentro de nós.

 

Com o tempo, a culpa vai crescendo dentro de nós criando uma forte barreira entre as duas pessoas e pronto, o vínculo se desfaz. Se torna um peso grande demais a ponto de ser insuportável, e gastamos uma energia enorme para esconde-la sendo que está impressa na nossa testa.

 

 

Acabamos por tentar nos livrar dela falando com terceiros. Isso se bem ajuda a se conscientizar dela, não a diminui nem a tira de nós.

Dê Adeus à Culpa

Para se livrar da culpa temos que fazer algo bem simples, mas que acaba se tornando difícil devido a barreira que criamos em nossa mente. A única forma de resolver um estado de culpa é falando diretamente com a outra pessoa. Abrindo o jogo e colocando para fora tudo o que sentimos em relação à situação, sem demonstrar culpados somente falando de sentimentos.

 

Para ficar mais fácil de visualizar deixo aqui os passos para resolver uma culpa:

  1. Converse diretamente com a pessoa. Conte a ela como se sente, exponha seus sentimentos. A medida que for falando posso ter certeza que o muro que construiu mentalmente vai se dissipando e não passará de uma ilusão.
  2. Fale abertamente de tudo o que tem vergonha. Ao se expor dessa maneira você entrará em um estado onde a culpa deixará de existir e abrirá espaço para a reconciliação.
  3. Evite acusações. Ao invés de acusar, exponha os seus próprios pontos fracos. Isso abrirá sua guarda e gerará engajamento entre vocês, para que a forte culpa que sentia tempos atrás termine num carinhoso abraço de paz.
  4. Não se importe com a opinião alheia. Muitos não entenderão o porquê de você estar encarando a culpa e conversando com essa pessoa. Porém, a sua liberdade emocional vale muito e só você poderá alcançar isso.

 

 

 

 

A sua Tarefa para Hoje, Depois de Ler este Post

 

 

Medite sobre suas culpas e coloque em prática os passos mais acima. Depois comente aqui em baixo como se sentiu depois de se livrar do peso dela.

3 comentarios

Aprenda a Desapegar Para Amar de Verdade!

Primeiramente devemos reconhecer o apego, tomar ciência dele e aceitar. Logo depois devemos saber o porquê, a origem e só então começar a trabalhar no desapego.

 

 

Para trabalhar o desapego, o melhor caminho é a reprogramação do nosso cérebro, através de técnicas de PNL (Programação Neuro Linguística). O especialista no assunto, Pablo Tuffano, ensina em seu e-book Como Esquecer um Grande Amor, a você reconhecer esse sentimento e se livrar dele de uma vez por todas.

O que é o Apego Emocional?

O apego emocional é o sentimento de dependência da outra pessoa. Esse sentimento gera sofrimento, pois não podemos por um só minuto ficar longe e nem pensar em terminar. O apego acaba sufocando o outro e gera o que quem está apegado mais teme, o fim do relacionamento.

 

O apego não tem nada a ver com o relacionamento ou a outra pessoa. É uma programação do nosso cérebro, que foi colocada ali quando éramos crianças. Se você sofre com o apego provavelmente costuma cobrar muito de todas as pessoas com quem convive.

 

O importante de saber é que isso não tem nada a ver com a outra pessoa, e é você quem tem que desfazer essa programação para que o sentimento se transforme somente em amor.

Como Identificar se é Amor ou Apego?

O amor é quando você está com a pessoa pelo que ela é. Quando você não fica triste pelo que perdeu se não pelo que viveu com ela. Quando você convive com a família, amigos e colegas do companheiro em paz, sem cobranças ou ressentimentos.

 

Quando se ama se perdoa as brigas, se vê que o outro também estava sofrendo e agora fica somente o carinho. Saber que a pessoa não te deve nada, por isso não deve cobrar nada. Amar o outro, significa não o aprisionas em uma relação que não funciona, é deixa-la livre.

 

 

Todo o contrário é somente apego, e você deve se livrar dele para que os dois possam viver felizes.

0 comentarios

Caso de Desapego de Gregório Duvivier

Para quem não sabe, Gregório Duvivier é um humorista, escritor, ator e um dos criadores do canal de humor no YouTube Portas dos Fundos. Ele foi casado com a também humorista, atriz e cantora Clarice Falcão.

 

Depois de vários anos de união, parceria e trabalho juntos, a relação terminou. Você imagina como alguém pode terminar arrasado depois de um relacionamento assim não é. 

 

Pois bem, decidi compartilhar com vocês o texto que Gregório escreveu em sua coluna no Jornal Folha de São Paulo, onde ele conta um pouco desse relacionamento e nos dá uma lição de desapego ao final. Espero que você possa aprender um pouco também com essa história.

Desculpe o Transtorno, Preciso Falar da Clarice - Por Gregório Duvivier - Folha de São Paulo

Conheci ela no jazz. Essa frase pode parecer romântica se você imaginar alguém tocando Cole Porter num subsolo esfumaçado de Nova York. Mas o jazz em questão era aquela aula de dança que todas as garotas faziam nos anos 1990 –onde ouvia-se tudo menos jazz. Ela fazia jazz. Minha irmã fazia jazz. Eu não fazia jazz mas ia buscar minha irmã no jazz. Ela estava lá. Dançando. Nunca vou me esquecer: a música era "You Oughta Know", da Alanis.

 

Quando as meninas se jogavam no chão, ela ficava no alto. Quando iam para a ponta dos pés, ela caía de joelhos. Quando se atiravam pro lado, trombavam com ela que se lançava pro lado oposto. Os olhos, sempre imensos e verdes, deixavam claro que ela não fazia ideia do que estava fazendo. Foi paixão à primeira vista. Só pra mim, acho.

 

Passamos algumas madrugadas conversando no ICQ ao som de Blink 182 e Goo Dolls. De lá, migramos pro MSN. Do MSN pro Orkut, do Orkut pro inbox, do inbox pro SMS.

 

Começamos a namorar quando ela tinha 20 e eu 23, mas parecia que a vida começava ali. Vimos todas as séries. Algumas várias vezes. Fizemos todas as receitas existentes de risoto. Queimamos algumas panelas de comida porque a conversa tava boa. Escolhemos móveis sem pesquisar se eles passavam pela porta. Escrevemos juntos séries, peças de teatro, filmes. Fizemos uma dúzia de amigos novos e junto com eles o Porta dos Fundos. Fizemos mais de 50 curtas só nós dois —acabei de contar. Sofremos com os haters, rimos com os shippers. Viajamos o mundo dividindo o fone de ouvido. Das dez músicas que mais gosto, sete foi ela que me mostrou. As outras três foi ela que compôs. Aprendi o que era feminismo e também o que era cisgênero, gas lighting, heteronormatividade, mansplaining e outras palavras que o Word tá sublinhando de vermelho porque o Word não teve a sorte de ser casado com ela.

 

Um dia, terminamos. E não foi fácil. Choramos mais que no final de "How I Met Your Mother". Mais que no começo de "Up". Até hoje, não tem um lugar que eu vá em que alguém não diga, em algum momento: cadê ela? Parece que, pra sempre, ela vai fazer falta. Se ao menos a gente tivesse tido um filho, eu penso. Levaria pra sempre ela comigo.

 

 

Essa semana, pela primeira vez, vi o filme que a gente fez juntos —não por acaso uma história de amor. Achei que fosse chorar tudo de novo. E o que me deu foi uma felicidade muito profunda de ter vivido um grande amor na vida. E de ter esse amor documentado num filme —e em tantos vídeos, músicas e crônicas. Não falta nada.

 

Fonte: http://m.folha.uol.com.br/colunas/gregorioduvivier/2016/09/1812342-desculpe-o-transtorno-preciso-falar-da-clarice.shtml

Qual a Lição que Aprendemos com Gregório?

Mesmo com um relacionamento longo e feliz, ele soube ver os momentos felizes que passaram juntos. Escolheu para ele a lembrança dos sentimentos bons e esqueceu os ruins. É dessa forma que devemos agir ao terminar o relacionamento. Pois se não deu certo pelo menos ficará uma boa e reconfortante lembrança.

3 comentarios

Você já se Sentiu Sozinha Após o Término de um Relacionamento?

Muitas pessoas, a causa de um relacionamento, acabam cedendo às mudanças para se manter juntos. Mudanças como trocar de trabalho, migrar para outra cidade ou país, ficar longe da família e amigos.

 

Pode parecer até natural, já que você escolheu estar ao lado de uma pessoa e quer acompanha-la e ficar ao seu lado em qualquer ocasião. Eu concordo que o relacionamento pode exigir algumas mudanças, porém, o problema é quando ele começa a te fazer mal e você quer terminar mas vem o medo: “Como vou ficar se terminar essa relação? ”

 

 

Então diante desse medo, várias pessoas aceitam um relacionamento pouco ou nada satisfatório. Em alguns casos, esses relacionamentos passam a ser abusivos com brigas, agressões e humilhações. Mas se mantém nesse relacionamento por não ver a possibilidade de fazer novos amigos e o medo de ficar sozinha.

Porque você se sente sozinha?

Muitas vezes estar sozinha é um estado de espirito, um sentimento. Você até tem amigos e familiares por perto mas sente um vazio por dentro. Mesmo tendo com quem interagir fora do relacionamento, acaba se sentindo sozinha na falta do parceiro. Isso porque você não se conhece a si mesma e não encontrou a felicidade dentro de você.

 

Outras vezes você realmente está sozinha. Se mudou de cidade, mudou de emprego e se distanciou do seu antigo círculo social. Você não fez novos amigos e ficou totalmente dependente do seu relacionamento. Sem perceber se isolou do mundo e agora só tem seu parceiro de companhia.

 

 

Saiba que em ambos os casos é possível superar. Você não precisa ter medo de ficar sozinha.

Como não se sentir sozinha?

Pode acreditar que é sim possível sair da prisão de um relacionamento ruim e viver feliz “sozinha”. Você pode sim criar novos vínculos, ou recuperar vínculos antigos. Vou listar aqui 4 maneiras de fazer isso e se liberar.

 

Autoconhecimento: Quando você termina o relacionamento, é importante olhar para dentro de si e reconhecer suas qualidades e virtudes. Devemos descobrir o que nos faz bem, nos traz satisfação e o que queremos para nossa vida a partir de agora. A meditação é um excelente caminho para o autoconhecimento. Dedique 10 minutos por dia para se conhecer e se aceitar.

 

Estado de Espirito: Às vezes nos sentimos sós mesmo estando rodeada de pessoas. Na verdade, a solidão não tem muito a ver com o mundo externo, e sim com o nosso interior. Devemos trabalhar o nosso ser interior, com meditação, espiritualidade, motivação, diariamente. Com o autoconhecimento elevamos nosso estado de espirito e passamos a nos sentir bem.

 

Criar Novos Vínculos: Para estar menos sozinha também devemos conhecer novas pessoas, fazer novos amigos. Fazer um novo curso, praticar esportes, um grupo de meditação são formas de socializar e fazer novos vínculos. Você pode adotar um animal, eles são excelentes companheiros. Pode ser que seu relacionamento atual te impeça de enxergar a possibilidade ao seu redor, mude.

 

Refazer Vínculos Antigos: Reserve parte do seu tempo para entrar em contato com pessoas que não vê faz algum tempo. Essas pessoas foram importantes em algum momento de sua vida e você pode resgatar esses laços com uma ligação telefônica. Marque um encontro casual para relembrar os velhos tempos e fazer planos novos.

 

Estar de Bem Consigo Mesma: O mais importante para se sentir completa e feliz, é ficando de bem com você mesma. Não importa como esteja seu relacionamento, se tem pessoas a sua volta, quando você tem paz interior tudo vai estar bem.

 

 

Espero ter lhe ajudado com este pequeno texto a superar a solidão do fim do relacionamento. Se quiser se aprofundar mais visite o site: http://esquecerumgrandeamor.com nele você encontra mais informações a respeito.

2 comentarios